Diálogos – Oficina Virtual de Escrita

Mais uma super aula do Henry!

Usei o trecho de um conto que escrevi a um tempo para exercitar três tipos de diálogos diferentes.

  • Diálogo direto

“Me desculpe!”, Disse Mariana enquanto chorava incessante.

De cabeça baixa, controlando a inevitável timidez, Fernanda falou:

“Você não precisa pedir desculpa por isso, mas eu sou apenas sua amiga. Se você quiser eu me afasto de você, pra que você não tenha que conviver comigo. Se precisar disso para me esquecer”.

“Eu não queria sentir isso. Não quero te perder. Eu te amo.”

“Você não pode alimentar o que sente por mim.”

“Meu amor vai muito além daquilo que pensa. Te amo como minha amiga, minha irmã, como sempre. Se algo mais floresceu, isso precisa passar”. Mariana replicou.

“Precisamos voltar!”, Fernanda queria evitar que a conversa se tornasse mais constrangedora.

“Eu precisava te contar”.

“Você fez a coisa certa!”. Falou abraçando sua amiga enquanto caminhavam até a porta da casa dela. A mão em seu ombro fazia pensar que ela sempre estaria ali e isso não podia ser tão ruim. Seu sentimento poderia estragar tudo, mas Mariana não gostaria de permitir.

  • Diálogo indireto

Mariana pediu desculpa enquanto chorava incessante.

De cabeça baixa, controlando a inevitável timidez, Fernanda disse que ela não precisava pedir aquelas desculpas. E que se for necessário, ela se afasta de seu convívio para que ela possa esquecer aquele sentimento. Mas ela falou que não queria perdê-la é que sentir isso não fazia parte de seus planos.

Fernanda dizia que aquele sentimento não podia ser alimentado. Mas Mariana, ela não falava só de atração ou paixão e esclareceu que seus sentimentos eram muito mais que isso, ela disse eu te amo, mas não somente como a mulher de sua vida e sim como amiga, irmã. A paixão é passageira.

Fernanda, constrangida com a situação, interrompeu a conversa, se apressando para voltar. Mariana se sentia tão mal que explicou mais uma vez que precisa contar. E sua amiga compreendeu e apesar de tudo, saiu de lá abraçando-a enquanto caminhavam até a porta de sua casa. A mão em seu ombro fazia pensar que ela sempre estaria ali e isso não podia ser tão ruim. Seu sentimento poderia estragar tudo, mas Mariana não gostaria de permitir.

  • Diálogo indireto livre

Me desculpe! Foi o que Mariana enquanto chorava incessante. De cabeça baixa, controlando a inevitável timidez, Fernanda disse você não precisa pedir desculpa por isso, mas eu sou apenas sua amiga. Se você quiser eu me afasto de você, pra que você não tenha que conviver comigo. Se precisar disso para me esquecer.

Claro que eu não quero isso, eu te amo e não quero te perder, foi a resposta de Mariana. Fernanda replicou que ela não pode alimentar o que sente. E ela disse que seu amor vai muito além daquilo que pensa. Te amo como minha amiga, minha irmã, como sempre. Se algo mais floresceu, isso precisa passar.

Precisamos voltar! Fernanda queria evitar que a conversa se tornasse mais constrangedora. Eu precisava te contar.

Você fez a coisa certa! Falou abraçando sua amiga enquanto caminhavam até a porta da casa dela. A mão em seu ombro fazia pensar que ela sempre estaria ali e isso não podia ser tão ruim. Seu sentimento poderia estragar tudo, mas Mariana não gostaria de permitir.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s